quinta-feira, dezembro 24, 2015

CAPÍTULO XXV (Penúltimo Capítulo)

Depois de se despedir de Lúcia e colocar Aurora na cama, Vanessa foi para a cozinha.
Zac a seguiu.
Ele abriu a geladeira e apanhou uma cerveja.
— Quer uma cerveja?
Vanessa sacudiu a cabeça em negativa.
— Aceito um copo de chá gelado. Deixe que eu mesma pego. — Ela tirou os sapatos e afofou os cabelos.
— Nessa, eu não quero apressá-la, mas precisamos falar a respeito do rancho — ele disse. — Pela manhã, terá de decidir o que fazer junto com suas irmãs.
— Elas querem resolver tudo agora para não terem de voltar.
Zac sentiu um nó na garganta.
Uma ponta de esperança o animou. Seu futuro seria decidido.
— Você disse que o Rocking R deve ser dividido em três partes, e que elas querem vender suas partes.
— Ashely não quer ficar amarrada ao rancho de forma alguma. Ela e Chris disseram que se eu não puder comprar a parte deles agora, eles podem esperar. Vão recebendo os lucros até eu poder comprar. — Vanessa observou Zac tirar o paletó e desabotoar a camisa.
Momentaneamente, esqueceu tudo e concentrou-se nele.
Estava lindo como sempre.
As botas pretas o deixavam ainda mais alto.
Ele colocou o paletó na cadeira e sentou-se.
— E Stella?
— Agora que ficou noiva, Stella quer vender sua parte, assim poderá acabar de pagar sua faculdade. Ela quer me devolver o que gastei com ela desde a morte de papai, mas não vou aceitar.
Vanessa acrescentou uma rodela de limão ao chá, provou, então foi juntar-se a Zac na mesa.
— No momento, não posso comprar as partes delas sem me endividar. E não quero fazer isso. Com o nosso casamento, tudo que eu fizer vai envolver você.
— Eu compro as partes delas, e a sua, se quiser vender.
Atônita, ela o encarou enquanto pensava na generosa oferta.
Sentiu, uma dor profunda invadi-la. Zac estava pronto para dizer adeus. Não teria sentido fazer uma oferta como aquela, se pensasse que ela fosse ficar. Ou, ele queria que partisse. Sentiu-se tonta.
— Zac, é muita terra — ela disse, sem pensar.
Será que ele nem considerava a hipótese de ficarem juntos e juntarem as terras?
— Posso comprar toda a parte que faz fronteira com este rancho. — Zac a observava enquanto falava.
Ele estava arrasado, mas não queria que ela percebesse.
Ela ficaria com ele por pena, e isso não podia suportar. — Gostaria de ficar com as terras do Rocking R, e talvez esta seja minha única oportunidade.
— Eu vou deixá-lo endividado.
— Não se preocupe. Já pensei em tudo, e não quero ver suas terras caírem em mãos erradas. Terei de economizar por algum tempo, mas depois vou ganhar mais dinheiro. São boas terras. A água é abundante.
Ficaram em silêncio.
Vanessa sabia que ia se arrepender se não aceitasse a oferta, mas não queria um futuro longe dele e de Aurora.
Não esperava que ele agisse tão depressa.
Parecia que ele estava encerrando o casamento, o que era absurdo depois das semanas de intimidade que partilharam juntos.
Lembrou-se dos momentos alegres, quando ele parecia amá-la.
Zac continuou a beber da cerveja, o desespero invadindo-lhe todo o ser.
Queria que Vanessa ficasse, mas não ia obrigá-la.
Podia puxá-la em seu colo e beijá-la. Pedir que esquecesse a faculdade.
Mas, se ela dissesse não, teria de aceitar sua decisão.
Apesar da dor, teria de deixá-la partir.
— Não vou obrigá-la a ficar o ano todo — ele disse, odiando cada palavra, mas sabendo que era o justo.
Ele já perdera Reese por obrigá-la a ficar no rancho contra sua vontade. Não cometeria o mesmo erro outra vez. Se ela não queria ficar, não a forçaria.
O vínculo tinha de ser o amor, e não o dever.
A escolha era de Vanessa.
— Eu sei que quer ir para a faculdade — Zac continuou. — Mas antes de partir, precisa se desfazer do rancho.
Vanessa ouviu aquelas palavras, o coração partido em mil pedaços.
Zac falava com calma, como se fosse uma despedida.
E as noites que passaram abraçados? E as longas horas de amor?
Ela sabia que ele estava falando, mas não conseguia mais ouvir.
Dirigiu o olhar para a mão esquerda, a aliança. Pareceu fria e frágil.
"Ele estava fazendo os preparativos para ela partir". Estava dizendo adeus. Sentiu-se traída e magoada.
Chocada. Mas, ele nunca dissera que a amava.
Nem uma única vez.
Mesmo nos momentos de grande paixão.
— Nessa?
Ela lutou contra as lágrimas, a raiva e a dor.
Torceu para que as feições do rosto não a traíssem.
As lágrimas queimaram-lhe os olhos.
— Desculpe, estava lembrando de minha avó — ela mentiu.
— Oh, perdoe-me, não é uma boa hora para conversarmos.
— Não, Ashley vai partir amanhã à tarde. As decisões precisam ser tomadas — ela disse.
O interlúdio havia terminado. Perderia a ele, e a Aurora. As lembranças de Aurora a devastaram.
A pequena crescia a cada dia, aprendia coisas novas e chamava-a de "Mamãe".
Lembrou-se de quando lhe contava histórias, dos abraços daqueles braços curtos...
E Zac... A dor era tão forte que mal podia respirar.
Zac a contemplava atentamente. Ela olhou novamente a aliança.
Os olhos se encheram de lágrimas.
— E difícil perder a vovó e o rancho, tudo ao mesmo tempo.
— Não precisa ir.
Ela queria gritar que precisava ouvir uma declaração de amor.
Preferia ter Zac e Aurora do que ir para a faculdade!
Teve vontade de dizer toda a verdade, mas não o faria.
Tinha seu orgulho.
Infelizmente, ela não controlava as emoções.
Seria uma estupidez esclarecer seus sentimentos com relação a ele e Aurora?
— Zac, meu lugar é junto de minhas irmãs — ela disse, antes de ter que dar maiores explicações. — Vou voltar para casa. — Mas, para ela, sua casa só podia ser junto de Zac e Aurora.
Zac rangeu os dentes, os olhos azuis haviam escurecido como a noite.
Ele concordou e abaixou a cabeça.
Ela apanhou a bolsa e foi buscar algumas roupas.
Zac ficou sentado na cozinha vazia.
Para ele, o mundo acabara.
Como poderia viver sem ela? Se comprasse seu rancho, não poderia desfazer o negócio e mudar-se para a cidade com ela.
E não sabia como fazê-lo.
Podia tê-la obrigado a ficar até o final do ano.
Talvez assim, Vanessa se convencesse de que era feliz com ele e Aurora.
Olhou para a soleira da porta, pensativo.
Ela ainda estava sob seu teto. E era suscetível a seus beijos.
Furioso, arrastou a cadeira e saiu apressado pela casa.
Encontrou-a em seu quarto.
Estava dobrando as roupas.
Entrou apressado e a virou para ele.
— Zac...
Ele cobriu-lhe os lábios com um beijo.
Surpresa, Vanessa abraçou-lhe.
O coração palpitando contra o peito.
Ele a beijava como se a quisesse para sempre.
E, ela o queria também.
Mais lágrimas rolaram e mesclaram-se aos beijos.
Por que ele a beijava se queria que partisse?
Abruptamente, soltou-a.
— Pode ir, Nessa — ele disse, a voz fria e triste.
Ele virou-se e saiu do quarto, deixando-a perplexa. Ele devia sentir alguma coisa por ela, ou não a teria beijado daquele jeito.
Com as mãos trêmulas, apanhou poucas coisas, o resto pegaria mais tarde, quando estivesse mais calma.
Foi ao quarto de Aurora despedir-se.
— Vou sentir muita falta de você, pequenina. Mas, seu pai sabe o que é melhor para ele. Ele te ama muito e vai sempre cuidar muito bem de você. Nunca vou esquecê-la. Eu te amo, minha pituquinha. Eu te amo tanto, Aurora.
Vanessa inclinou-se para abraçar a pequena, e então saiu apressada.
Correu até a caminhonete, embora sua vontade fosse dizer a Zac quanto o amava.
Tinha o rosto banhado em lágrimas.
Onde estava Zac? Não ia tentar impedi-la?
Fechou a porta e ligou o motor.
Quando chegou na via expressa, parou no acostamento para chorar.
Ela o amava, ele era seu mundo.
Mais de uma hora depois chegou ao seu rancho.
Na ponta dos pés foi para o quarto, fechou a porta e sentou-se à janela.
Não conseguiria dormir.
A mente confusa.
Ele agira como um homem apaixonado.
Será que ela o interpretara mal? Deveria voltar e dizer quanto o amava, e que queria um casamento de verdade para sempre?
Gostaria de voltar, mas a frieza de Zac a assustara.
Se ele a amasse, teria dito.
Se a queria, não teria permitido que partisse.
Na manhã seguinte, o marido de Ashley, Chris, juntou-se à Vanessa no desjejum.
— Bom dia, Nessa. Não esperava encontrá-la aqui — ele disse, estudando-a.
Estava óbvio que chorara a noite toda.
Os olhos inchados e vermelhos.
Mal se conheciam, e ele não fez mais perguntas.
Devia estar louco de vontade de voltar para sua corretora em Denver.
— Eu sei que Ashley e Stella desejam resolver a questão do rancho quanto antes — ela disse a ele.
— Precisam resolver algumas coisas. Falei com seu marido ontem, ele parece disposto a comprar nossa parte e a de Stella.
— É verdade.
— Bom dia. Pensei ter ouvido vozes — o noivo de Stella, Alexander, disse.
Os homens se movimentaram pela cozinha, servindo-se de suco de laranja e café.
Os dois eram bem diferentes.
Alex trabalhava com computadores.
Chris era músico.
Parecia estar sempre preocupado com algum negócio.
As irmãs entraram na cozinha.
— Que faz aqui? — Ashley perguntou, bocejando.
Estava com um agasalho esportivo cor-de-rosa e descalça.
Stella estava de short e camiseta.
As duas olharam com curiosidade para Vanessa.
— Vim conversar com vocês sobre o rancho — Vanessa disse.
Enquanto comiam e tomavam café, discutiram como disporiam do rancho.
Depois de terminada a conversa, Chris ligou para Zac e marcou uma reunião no escritório do rancho.
Em seguida, Chris chamou um avaliador.
Uma hora mais tarde, alguns saíram para caminhar pelo rancho, exceto Stella que permaneceu na cozinha com Vanessa.
— Por que está aqui?
Vanessa afastou os cabelos do rosto e olhou pela janela da cozinha.
Não queria contar a verdade à irmã, mas não tinha escolha.
— Eu e Zac tínhamos um casamento de conveniência, nada mais.
— Não acredito, Nessa!
Vanessa encarou a irmã.
— É verdade.
— Ninguém faz isso!
— Eu fiz. Ele precisava de alguém para cuidar de Aurora, e concordou em pagar as dívidas de papai. Antes de casarmos, disse a ele que se a vovó morresse, eu queria vender o rancho, mudar para cidade e cursar a faculdade de direito.
Stella abriu a boca.
— Não! Você ama este lugar!
Por um instante, Vanessa sentiu uma ponta de ânimo.
— Claro que amo nossa casa, mas não quero me sentir amarrada. Como vocês. Quer viver aqui e administrá-lo?
— Não, mas eu nem saberia como. Você sim. Foi o que sempre fez.
— Mas não é a única coisa que quero fazer — Vanessa disse, paciente.
— Todos aqueles anos com papai, você era infeliz?
— Não, mas o papai se foi e agora quero algo diferente.
— Ash já sabe?
— Ainda não. Eu ia contar, mas não quero fazê-lo na frente de Chris e Alex.
— Você quer estudar direito?
— Já fui aceita. Se deixar a venda do rancho a cargo de Chris, posso começar neste semestre. Gostaria de ir para Austin esta tarde. Vou precisar de um apartamento.
— Você esperou todo esse tempo por papai e vovó, não é?
— Sim.
— Tinha tanta vontade quanto eu e Ash de sair daqui?
— Não. Eu gosto daqui, mas quero ter uma profissão — ela disse, pensando em Zac e Aurora. — Não quero viver aqui sozinha.
— Mas, e seu casamento?
— Legalmente estamos casados.
— Você fez aquela festa enorme pela vovó?
— Sim.
— Se quer estudar, por que está com os olhos inchados de tanto chorar?
Vanessa respirou fundo.
Olhou pela janela e procurou controlar as emoções.
— Eu o amo, Stella.
— Então, por que está indo embora?
— Ele quer que eu vá. — Vanessa enxugou os olhos e virou-se. — Ele me disse que jamais amaria outra vez.
Stella abraçou a irmã.
— Talvez, se ficasse mais um pouco, ele teria tempo de se apaixonar. Ele casou com você. Certamente, conversaram sobre uma relação mais duradoura.
— Não quero obrigá-lo a viver comigo sem amor.
— Ele não me pareceu infeliz a seu lado. — Stella afastou-se e estudou Vanessa. — Ele parece gostar muito de você. E não estava fingindo.
— Ele não me pediu que ficasse.
— Acho que deve voltar e discutir isso com ele.
— Stella, ele sabe o que quer. E sempre diz o que pensa.
— Talvez esteja esperando que você dê o primeiro passo.
— Ele não é desse tipo.
— Vamos falar com Ash.
Vanessa concordou.

Hellooo girls...
E chegamos ao penúltimo capítulooo... :(
Esses dois cabeças duraas!!! Não acredito que isso tá acontecendo....
Comentem ai o que acharam, porque amanhã tem o último capítulo da nossa história
Amores Feliz Natal!! Que neste Natal cada ser humano procure doar um pouco de si. Não somente em coisas materiais, mas principalmente em pequenos gestos para com o próximo.
Que nesta noite especial de Natal todos os seus sonhos se realizem, que Deus continue abençoando você e toda a sua família nos anos seguintes... Feliz Natal!
Beijos e até qlqr momento!!

Um comentário:

  1. Mds um dos dois tem que dar o primeiro passo
    Estou pirando com essa fic
    É muito perfeita ♡♡♡
    Feliz Natal pra vc tbm amr
    Xx

    ResponderExcluir